26.11.05

O caso Pinochet: novos desenvolvimentos.

quem por aí vá dizendo que "foi graças ao liberalismo económico chileno que Pinochet foi derrubado".

"Não fossem as privatizações efectuadas depois do governo de Allende, as políticas de abertura comercial ao exterior e a liberdade de comércio implantada no país pelos «Chicago boys», e o Chile não se teria transformado na mais próspera economia da América do Sul"

"Sendo certo que as ditaduras e o desenvolvimento não co-habitam por muito tempo, a fortíssima classe média que o liberalismo económico gerou no Chile, exigiu o que lhe faltava: a liberdade política."

Perguntas :

Porque é que Milton Friedman e os seus Chicago Boys parecem não ter dado pelos abusos que, segundo jcd, ocorreram no Chile?

Essa liberdade política não chegou com algum atraso? Se jcd tiver razão, 3000 mortos são muito tempo.

8 Comments:

Blogger Joao Galamba said...

Luis,

O post do RAF e de uma parcialidade sem limites. O pior e a especie de reabilitacao implicita do Pinochet. Ele critica-o, mas depois, em jeito de finta, diz que sem o liberalismo (leia-se: sem o proprio Pinochet) a democracia nao seria possivel. Eu leio-o assim. O RAF pode ter feito isto inconscientemente, mas como o sinificado das palavras nao se esgota na intencao do autor, penso que a minha interpretacao nao e descabida.

ps: na logica do tu-convidas-eu-convido, gostava que um tipo que nao seja de direita passasse pelo metablog e que diga alguma coisa em relacao aos meus posts sobre Liberdade (o penultimo) e a tolerancia (os dois ou tres que publiquei nos ultimos dias)

Um abraco,
Joao Galamba

4:47 da tarde  
Blogger Claudio Tellez said...

É... devemos recordar que as reformas dos Chicago Boyz começaram na década de 1980, e Pinochet chegou ao poder em 1973.

Friedman e os Chicago Boys (economistas chilenos que foram estudar em Chicago) estavam preocupados com questões de natureza econômica, mas devem ter tido conhecimento dos abusos que ocorreram no Chile ANTES dos militares e DURANTE o período militar.

Vamos a uma das principais fontes: http://www.josepinera.com

Recomendo, do site acima, o texto "Chile: The Road to Freedom".

Quanto aos 3000 mortos, essas mortes não foram uniformemente distribuídas ao longo do período militar.


Abraços!

4:55 da tarde  
Blogger pedro figueiredo said...

Quanto aos 3000 mortos, essas mortes não foram uniformemente distribuídas ao longo do período militar.

ah, nesse caso tudo bem.

11:59 da tarde  
Blogger jcd said...

Já agora:

http://jaquinzinhos.blogspot.com/2003/09/pinochets-allendes-castros-ialas-e.html

Já tem mais de 2 anos, mas é o que me resta dizer sobre o caso.

12:14 da manhã  
Blogger Claudio Tellez said...

pfig: refiro-me aos que foram mortos nos primeiros dias após a deposição de Allende, aqueles que morreram de armas na mão, lutando contra as FFAA chilenas. A maioria das mortes ocorreu nesse período, o que, naturalmente, não justifica os excessos posteriores do governo militar.

12:48 da manhã  
Blogger Claudio Tellez said...

JCD: Excelente post. Lembro-me te tê-lo lido na ocasião e foi bom relê-lo agora. Aproveito para recomendar a releitura de outros dois posts antigos:

http://val.dorta.com/archives/000343.html (o melhor, mas não está abrindo e estou tentando recuperá-lo no cache do Google)

http://varenius.blogspot.com/2003_07_01_varenius_archive.html#105890635150062939

1:00 da manhã  
Blogger Claudio Tellez said...

Consegui recuperar o post do Val e coloquei, na íntegra, no meu blog.

1:34 da manhã  
Blogger Luis M. Jorge said...

jcd,

excelente post realmente.

3:17 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home