17.12.05

Os extraordinários confrontos raciais de Sydney.

O último lugar onde eu esperava que ocorressem fenómenos a la LA seria a capital Australiana. Sydney é uma das mais encantadoras cidades que conheço: uma metrópole cosmopolita e multicultural, com atmosfera relaxada, que quase nos leva a duvidar da sua população de 4,5 milhões de habitantes. As várias comunidades (orientais, negras, hispânicas e, ao que parece, uma numerosa comunidade portuguesa) parecem habitar os mesmos espaços públicos sem grande intranquilidade. As religiões, orientações sexuais, línguas e hábitos não se acotovelam aos olhos dos turistas. A polícia é tranquila, os jovens são dóceis, e os poucos aborígenes, que se embriagam na rua durante todo o dia, não incomodam ninguém.

Melbourne é diferente: uma cidade agressiva, barulhenta, afectada e rude. Brisbane é provinciana e, segundo me foi dado alcançar, conservadora e temerosa. Hobart é pobre (embora me apaixonasse por ela, a ponto de querer ficar). Em todos estes lugares, poderia conceber um conflito, ou talvez não um conflito, um arrufo de origem racial. Agora, Sydney?!

O mundo é um local muito estranho.

2 Comments:

Blogger R. said...

Também não deixa de ser estranho a imprensa portuguesa não ter ligado nenhuma ao caso (até ao ponto em que estou informado). E a blogosfera pt também não (ao contrário de outras)...
Pelo que sei não se tratou propriamente de confrontos raciais, mas de agressões de australianos a árabes, depois de dois árabes terem agredido dois salva-vidas...

6:37 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Não conheço o caso em pormenor, mas hoje li no "Economist" uma pequena nota que talvez sirva de explicação: aparentemente, uma parte dos australianos considera que os atentados na Indonésia foram dirigidos, em particular, contra os seus conterrâneos. De qualquer modo não deixa de ser intrigante, pois é o povo mais pacífico e tranquilo de todos os que conheço.

6:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home