30.1.06

Justiça poética.

Ontem, o Franco Atirador foi mais lido do que o livro do Nuno Costa Santos.