31.3.06

Convicção e estratégia.

Um bom insight da Carla Quevedo, que me levou a distinguir entre dois tipos de moralistas: os que têm um objectivo prático, e os que obedecem a uma voz interior. Os primeiros, param a tempo. Os segundos, não. Qual dos modelos é pior? Perguntem a um moralista.

3 Comments:

Blogger _Slow_ said...

humm... será do tempo? às vezes parece que anda tudo a falar do mesmo.
Conheço pouquíssima gente, quase ninguém, que não seja moralista. Creio que é um estado em que se cai, de vez em quando. É preciso muita arte para olhar sem olhar de cima :)

6:41 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Concordo, slow. Mas isso ainda é um melhor motivo para analisar uma coisa que, pelos vistos, toca a todos.

6:47 da tarde  
Blogger sabine said...

Sim, todos usam a moral para defender os pontos de vista.
Uma nota: quanto mais o tempo passa, menos gosto da Carla Quevedo!

7:38 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home