22.3.06

Não é aspirina, é xarope.

Desde que o meu amigo Luís Raínha deixou de postar todos os dias, o Aspirina B transformou-se numa estopada sem brilho, nem esperança de redenção. É certo que por lá se passeiam agora o Daniel Oliveira e o Rodrigo Moita de Deus. Mas o primeiro quer tanto fazer blogs como eu quero estudar direito constitucional: been there, done that. O outro, lembra-me aqueles pais que anseiam levar os filhos à discoteca quando estes fazem dezoito anos: o amável convívio transforma-se depressa num horrível embaraço, que acaba à meia-noite com a criança, sisuda, a arrastar o velho bêbedo para fora da pista de dança, proibindo-o de conduzir.

A coisa não seria tão má, se ao mesmo tempo não houvesse por aquelas bandas um cheiro remoçado a sacristia de esquerda radical: agora, com as manifestações na Sorbonne, a malta imagina-se outra vez no Maio de 68 - em pelota, e a atirar pedras à polícia. Não vamos, aqui, tentar explicar-lhes a diferença entre os revolucionários de outrora e os jovens conservadores que eles hoje em dia glorificam: os homens, dizia T. S. Eliot, não suportam muita realidade. No entanto, caro Nuno Ramos de Almeida, talvez se pudessem evitar posts como este.

É que tudo tem limites: não deixe que os do bom gosto se percam, juntamente com o talento.

5 Comments:

Blogger sabine said...

1. Não concordo com a forma como o Aspirina B está a explorar os protestos em França.
2. Concordo com quem protesta.

12:59 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Interessante.

2:25 da tarde  
Blogger chuvamiuda said...

.....masturbações ideológicas a transbordar, a falta de objectivos, é no que dá.....

5:14 da tarde  
Anonymous 2º revisor said...

É à Bloco. Já não devia surpreender ninguém...

7:42 da tarde  
Anonymous Luis Rainha said...

Luís,

Claro que lhe devo um pedido de desculpas pela minha explosão do outro dia. Mas andava já com os cabelos em pé com aquela história e você acabou por levar por tabela.
Quanto ao Aspirina, acho que não tem razão; ele está sim a transformar-se num outro blogue, o que não é mau em si. Ainda lá iremos voltar como leitores renovadamente deleitados, palpita-me...

12:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home