31.3.06

Sócrates, Pulido Valente, e o reformismo.

Com excepção dos infelizes sequestrados na Região Autónoma da Madeira, acredito que toda a gente que lê blogs, lê o Público. Não vou, por isso, citar o artigo de hoje do Vasco Pulido Valente. Apenas direi que compara a paixão de Sócrates pela Ciência, com a paixão de Fontes pelo comboio: ambas conduzirão, inevitavelmente, ao desastre.

Para ler o Vasco Pulido Valente, é recomendável que o leitor conheça dois preconceitos habituais num historiador. Primeiro: a História repete-se sempre. Segundo: tudo acaba em desastre. O que há de errado nestas impressões? Nada. Ambas são geralmente razoáveis e verdadeiras. Mas ignoram o sucesso ocasional do reformismo.

Uma norueguesa dizia-me há meses que o seu avô ia descalço para a escola, quando era menino, na região de Trondheim. Hoje, a Noruega é o país mais rico do mundo. O petróleo ajuda, mas nem tudo, por ali, vem do petróleo. As empresas ajudaram, mas nem tudo veio das empresas. Houve também uma intenção reformadora, lenta e inexorável dos seus governos, que acabou por produzir resultados.

Isto para dizer que não julgo completamente errado um governo investir 250 milhões de euros em ciência e criar 5000 bolsas de estudo. Embora a possibilidade de um milagre seja escassa, não me parece que a intenção mereça um vitupério, ou uma catilinária.

14 Comments:

Blogger Ricardo Alves said...

Excelente artigo. Mas tem uma gralha em «preconcentos».

2:59 da tarde  
Blogger sabine said...

É melhor esperar pouco. De qualquer forma, todo o investimento é positivo. E pouco é melhor que nada! ;)

3:06 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

«preconcentos»

Mil obrigads, leitor.

3:23 da tarde  
Blogger abrunho said...

Franco,

Como eu leio blogues diariamente sinto que nao tenho que ler mais opinioes nos jornais. Uso estes para ter noticias, quando tal é possivel.

3:52 da tarde  
Blogger chuvamiuda said...

.....ordem à mesa, por acaso ou não, não sou da Região Autónoma da Madeira, mas estou cá no momento e não me sinto exilado, leio essas coisas todas, às vezes até vejo televisão, quanto ao tio Polido, é daquelas figurinhas sempre besuntadas de salpicos salivares, que até gagueija porque acha que fica bem, nada está certo a não ser a sua iluminada verborreia, para terminar, direi apenas que é frequente esquecerem-se que a Madeira já foi descoberta há mais de 500 anos, é só para recordar os mais distraídos, não que esteja a soldo de Sua Majestade......

4:05 da tarde  
Blogger chuvamiuda said...

P.S. Polido é mesmo a propósito, poque o entendo mais assim que Pulido.

4:07 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Leitor,

Se não se sente sequestrado, deve andar a bater em alguém da oposição.

4:32 da tarde  
Blogger Filipe Moura said...

Explica lá essa dos blogues e do Público. Conheço muita gente que lê blogues e não lê o Público. Eu leio o Público, mas não pude ler a crónica do VPV de hoje - pelo que escreves, interessar-me-ia... - porque não estava na rede. Em vez dessas considerações sobre quem lê ou não o quê, por que não transcreves um pouco da crónica para a malta? Seria pedir muito? E se eu pedir por favor?

4:50 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Filipe, por amor de deus: estava a brincar e com preguiça de o transcrever. Já te dei o argumento principal: se queres o resto, vai ao Blasfémias, ou a esses sítios onde se escreve a metro (eu já não ando longe, apesar de tudo).

5:10 da tarde  
Blogger chuvamiuda said...

Escritor,

.....não tenho por hábito bater em quem quer que seja, muito menos em opositores, não sei se foi por distracção, ou por qualquer outro moitivo, que não leu, "não estou a soldo de sua Majestade" se bem se recorda nas ultimas eleições legislativas, os de cá escolheram os de lá, agora muito do que se passa por aqui é carnaval e bailinho, além do mais nada é eterno, desculpe a maçada, sim.....

7:11 da tarde  
Blogger Rui Miguel Brás said...

Luís M. Jorge, o crédulo.

10:04 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Lol. Você preferia, decerto, o sanguinário?

11:58 da tarde  
Blogger Rui Miguel Brás said...

evidente que não. sou como o Hume: um céptico moderado.

12:10 da manhã  
Anonymous plote said...

O ideal é não ler nem jornais nem blogues. Só livros com mais de 100 anos.

2:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home