4.4.06

Não havia esperança de ressurreição.

5 Comments:

Blogger _Slow_ said...

ofereci-te este soneto para o caminho, mas não apareceu... espero que agora não esteja duplicado!

"Alegres campos, verdes arvoredos,

claras e frescas águas de cristal,

que em vós os debuxais ao natural,

discorrendo da altura dos rochedos;



silvestres montes, ásperos penedos,

compostos em concerto desigual,

sabei que, sem licença de meu mal,

já não podeis fazer meus olhos ledos.



E, pois me já não vedes como vistes,

não me alegrem verduras deleitosas,

nem águas que correndo alegres vêm.



Semearei em vós lembranças tristes,

regando-vos com lágrimas saudosas,

e nascerão saudades de meu bem."

Camões

ah e dizia-te também que tenho pena que vás e que tinha voltado inspirada por ti. Espero ler-te muito mais.

4:08 da tarde  
Anonymous pingue-pongue said...

Uau. Se ter um blogue dá para declarações destas, então também vou fazer um...

9:56 da tarde  
Blogger Carlos Galveias said...

Blog muito interessante... vale a pena voltar, com toda a certeza. Espreita o Orgia Política e dá-nos a tua opinião.

Carlos

1:23 da manhã  
Blogger azia said...

cá venho esperando. espera-se. ah e tal, o gajo ainda volta. e o gajo nada, ali caladinho, venezas talvez e de quando em vez, mas só de quando em vez. ó luís, pá, vamos lá a andar com isto para a frente, foda-se.

um abraço, agora em registo solene.

4:53 da tarde  
Blogger Filigraana said...

Também gosto da estética Da Vinci.

6:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home