22.6.06

Parábola.

Por causa desta câmara, continuo a passar horas no escuro, a cortar as mãos em arestas metálicas, a contaminar-me com ácidos nefastos, a sacudir vezes sem conta tanques de revelação. Podia estar no meu belo Powerbook, a melhorar as minhas belas fotografias digitais, capturadas com a minha bela Nikon e uma das belas objectivas que trouxe do Japão. Podia estar a fazer o que toda a gente faz hoje em dia. A ser ajuizado e limpo, em vez de truculento, caprichoso e pedante. Mas esse não seria eu. Nem esta seria uma bela história de amor.

2 Comments:

Blogger on said...

Go digital:)

10:01 da manhã  
Blogger Luis M. Jorge said...

I do. I just come back.

10:54 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home