25.8.06

A Economia real, para lojistas portugueses.


A Interna Empório Casa, que até há pouco tempo ocupava um palacete de três pisos no Príncipe Real, mudou-se para uma loja definitivamente mais pequena do Chiado. Durante anos, a Empório fez parte das minhas peregrinações semanais. Por lá comprei, se a memória não me falha, um sofá, duas estantes, uma lounge chair, uma mesa de apoio, dois ou três candeeiros, uma cama e vários acessórios para consumo próprio ou para oferecer.

Um belo dia adquiri no andar inferior um pequeno presente, um pisa-papéis de 25 euros, que mais tarde tentei trocar. Como não tinha comigo a factura, a funcionária da caixa negou-me a restituição. Expliquei-lhe que era um cliente habitual (perdoem a empáfia), e disse-lhe que agradeceria muito a sua gentileza. Nada feito. Perguntei-lhe se possuiam, em computador, o histórico dos clientes. Não tinham. Já agastado, mandei chamar o dono da loja, a quem relatei o meu caso. De voz arrastada e mão na anca, a criatura retorquiu-me que eu devia compreender o lado deles. Eu compreendi. Compreendi tão bem o lado deles que um mês depois estava a escolher esta chaise longue na Galante.

Três anos mais tarde, acho que eles aprenderam a lição.

1 Comments:

Blogger smart said...

Pessima troca,a Galante é bem pior,experimenta e lá tentar trocar alguma coisa sem talao e depois conta...na Interna sempre me trocaram tudo mesmo sem factura desde que tivesse etiqueta !Não há sitio nenhum que façam trocas sem talão...por isso não percebo a indignação

7:47 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home