23.8.06

Hello.

No Japão, era vulgar que grupos de crianças, em uniforme de colégio, ao passarem por mim na rua me dissessem: "harô!". Demorei alguns dias até entender o significado daquela exclamação. Hoje penso que Deus, se por um acaso extraordinário existir, talvez olhe assim para nós: como uma multidão de seres pequenos e indistintos que, a uma distância confortável, lhe gritam, nervosamente: "harô!".