18.8.06

O Público, mais uma vez.

Fui desde o início um leitor apaixonado do Público. O Expresso, que não compro há anos, parecia-me ilegível. O Diário de Notícias mudava de orientação editorial ao sabor das maiorias parlamentares (ainda hoje recordo com horror o DN de Luís Delgado, à época do triste consulado de Pedro Santana Lopes). Os outros jornais diários não eram uma opção. Restava-me por isso o Público e a imprensa internacional. Hoje em dia não é assim.

Embora os dois blogs sejam muito populares, vale a pena citar estes posts do Abrupto e do Arrastão. Ambos revelam o tipo de truques grosseiros que, em nome da ideologia, um diário que honrou o jornalismo agora usa para insultar a inteligência dos leitores.

A História, com "h" grande, encarregar-se-á do resto.

2 Comments:

Blogger zazie said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

1:50 da manhã  
Blogger zazie said...

O que ele devia optar era por escrever historiador com minúscula e já era muito bom para um licenciado em Filosofia

":O)))

P.S.

Quanto ao próprio Holocausto, com maiúscula, tem uma história mais complicada baseada no próprio sacrifício Bíblico. O termo estará errado desde o princípio, pois não se costuma falar de holocaustos a propósito dos vários genocídios de povos.

1:53 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home