18.9.06

Pensando em Juliano.

Esta querela entre mouros e cristãos seria menos desagradável se algumas pessoas, em que modestamente me incluo, pudessem invocar uma espécie de paganismo esclarecido.

6 Comments:

Blogger zazie said...

Dizes bem. Ainda ontem pensei nisso ao recordar o Giorgio Gemisto.

Estou com vontade de fazer um post sobre o assunto.

O pior é a falta de tempo

1:10 da manhã  
Blogger Luis M. Jorge said...

Mas é alguém que vale a pena recordar, zazie.

8:11 da manhã  
Anonymous thomas de quincey said...

Ah. Nem mais. Também me considero pagão.

12:03 da tarde  
Blogger zazie said...

Vou completar o post. Não gosto nada de fazer aquelas coisas informativas, mas já reparei que não se percebe o que o foi o projecto neo-platónico defendido em pleno Concílio Papal.

A propósito e só para esclarecer. Não me considero pagã. A religião com que simpatizo é a católica. Mas estetica e culturalmente sou panteísta
";O)

Quando digo simpatizo nem é por formação religiosa. É por ligeira crença. Tão ligeira que nem sei bem se conheço a fé. ´Fezadas, não. Detesto-as
":O)))

2:00 da tarde  
Blogger zazie said...

Estas histórias das religiões é como noutras coisas- tenho tendências conservadoras. Isto para mim funciona por herança.

Do mesmo modo que sempre preferi um bom vinho a uma imperial, também nunca me passaria pela cabeça dar em budista ou protestante.

2:03 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E eu cá sou ateu graças a Deus

10:37 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home