9.9.06

Toma lá, Fidel Castro.

No Chiado, uma rapariga belga perguntou-me onde tinha comprado as minhas Havanas. Indiquei-lhe a loja, esclarecendo antes que se chamavam Havaianas - de Havaí, não de Havana. Assim posso orgulhar-me de ter possivelmente destruído, em embrião, mais um tolo mito da nossa extrema-esquerda.

6 Comments:

Anonymous sniper p said...

Aposto que era gira. As tipas giras com ideias são todas de esquerda... É uma coisa inexplicável.

9:26 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

As pessoas giras são em geral de esquerda, sniper. Isso não tem nada de inexplicável. Somos descontraídos, sexy, e gostamos da boa vida. Temos uma relação mais tranquila com o nosso corpo e não nos deixamos influenciar pela moralidade judaico-cristã. Viajamos para sítios interessantes e a convivialidade é importante para nós: tudo isso só pode dar bom resultado.

1:50 da manhã  
Anonymous sniper p said...

Eu sei. Eu também sou de esquerda. Estava só abismado com a regularidade estatística, hehehe.

12:11 da tarde  
Anonymous Thomas de Quincey said...

Há a direita. Há a esquerda. Depois há uma coisa ohne ideologie (digo em alemão enfatizar o carácter filosófico do problema) que poderíamos chamar de quase-perfeita mas que também não é uma utopia. É uma coisa que podia ser se. Um campo onde praticamente não há adjectivos, não se escreve com aspas, e tudo é um esforço voluntário de entendimento entre coisas opostas (Goethe terá pensado nisto, creio). Esse, é o meu partido. Curiosamente, normalmente, esse costuma ser também o partido dos tigres da malásia. De certa forma é um romantismo-darwinista, se me faço entender.

9:11 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

Que interessante: talvez não esteja longe da verdade, Thomas. E onde escreveu Goethe isso, no Máximas e Reflexões?

11:26 da tarde  
Anonymous T de Q. said...

Sinceramente não me lembro.

11:39 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home