4.11.06

Muita elevação e sentido democrático.



Eis uma bonita imagem que encontrei hoje quando investigava mais um link no Blogue do Não. Para as mentes menos gráficas, esta ilustração retrata uma mulher a colocar no cesto do lixo a sua criancinha inocente. A mulher, está-se mesmo a ver, é a mãe (se é que podemos chamar mãe àquele monstro infame). Já o menino, como se topa a milhas, é um fetozinho lastimoso com menos de dez semanas, lívido, esmorecido, barbaramente esquartejado pelos algozes do partido do governo e pelos inimigos da vida.

O Jorge Lima, autor orgulhoso da obra, confessa em comentário que retirou um título ao post, por este ter chocado muito os seus leitores (nem queremos imaginar qual seria). O Jorge é obviamente um homem de profundas convicções democráticas, sensível aos pundonores da opinião pública. Mas isso não quer dizer que desista.

Não: já na próxima semana o Jorge deve trazer, para nos recrear, um conjunto de fotos exclusivas de fetozinhos roxos em baldes de plástico; de retratos de sinistras parteiras com instrumentos de tortura nas mãos papudas e ensanguentadas; de manchas suspeitosas de inimagináveis residuos orgânicos aspergidos em masmorras bafientas; de brinquedos primorosos e fofos, legos e peluches abandonados à sua sorte cruel (quem sabe, outro caixote do lixo) - enfim, provas, vestígios, sinais de milhares de criaturinhas viçosas entregues a um destino aterrador.

Não, meus amigos. Nas próximas semanas, nos próximos meses, o Jorge Lima não se vai poupar a esforços para que todos nós, eleitores irresolutos, possamos votar em consciência e com serenidade.

9 Comments:

Blogger zazie said...

Sabes que eu começo a pensar que esta treta deve mexer com demasiados fantasmas que estão para além da própria questão.

Há por aí um excesso de loucura e uma diabolização da mulher grávida que não se explica sem se ir ter à velha história do trauma masculino do "último a saber".

Até se esquecem que referendo toca tanto a mulheres como a homens- seja no caso da despenalização de médicos ou enfermeiros que pratiquem o aborto.

Mas não se fala neles. E o esquecimento parece-me excessivo para ser por acaso.

Até os médicos caem no mesmo, no caso de defenderem a despenalização. Aí as malvadas são as abortadeiras. Como se sem elas fosse possível alguém praticar aquilo que acham legítimo.

E isto digo eu, sem precisar de ter qualquer costela feminista.

5:38 da tarde  
Blogger zazie said...

A diabolização não é da mulher grávida. É a da mulher que pode engravidar ou fazer o que bem entender "dos nossos fluidos"

ehehehe

5:39 da tarde  
Blogger zazie said...

Mas as mulheres que se oferecem para "a causa" também vêm todas cheias de virtude. Seja do lado do sim, ou do lado do não.

E contam sempre que têm muitos filhinhos ou netinhos, como se o facto de os ter não fosse apenas sinónimo de fertilidade.

E quem é fértil pode ter mais problemas que as inferteis...
ehehehe

Mas não. Umas são puras mães virtuosas e moralistas como no tempo da lei-seca. Sempre prontas a atacarem as malvadas do "saloon". As outras são virtuosas higienistas. À boa maneira de todos os planeamentos demográficos.

Quando o assunto o mais que poderia provocar era pudor e discrição em não querer meter o bedelho em vida alheia...

5:47 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

"A diabolização não é da mulher grávida. É a da mulher que pode engravidar ou fazer o que bem entender "dos nossos fluidos""


Exacto. Essa coisa preciosa, que não damos a qualquer galdéria.

6:30 da tarde  
Blogger zazie said...

Tanto mais porque, na volta, "nem sabemos se os fluidos são nossos"...
sabe-se lá onde as galdérias os vão buscar...

ehehe

6:37 da tarde  
Blogger zazie said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

6:40 da tarde  
Blogger zazie said...

Como não sabemos se o resultado dos fluidos é nosso. E aí toca a regeitar as consequências...

Pois é. Mas também existem "figuras femininas" que não fazem a minha cara. A "coelheira virtuosa" ou a "planificadora espartana" não me agradam.

6:44 da tarde  
Blogger Jardim do Arraial said...

Mais um com medo da realidade...!

Que tem você contra as imagens dos "fetozinhos"?! Tem medo de perceber o que é o aborto é?

Quer algo mais real? Fique com isto:

http://www.abortionno.org/video/ChoiceBlues_ChapterOne-high.wmv

Veja o vídeo se tiver coragem para algo mais que fazer cruzinhas no boletim de voto.

O que aqui pode ver é um aborto por raspagem às 11 semanas, ou seja, o que pode ver ser retirado é um Ser com sensivelmente o tempo que se quer aprovar. Verá que não se trata de uma "coisa" disforme.

Se quer votar SIM, assuma o seu voto, mas jamais o faça na ignorância.

11:12 da tarde  
Blogger Luis M. Jorge said...

vou lá já a seguir.

1:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home