15.12.06

Boys, boys, boys.




Há coisa mais fácil do que criar uma editora? Dez ou quinze mil euros, dois ou três amigos literatos, uma ou outra feira da especialidade, um pitch a uma distribuidora, vinte telefonemas, cinquenta emails, alguns apertões a uma gráfica à beira da falência et voilà! Penso muito nisso quando sonho com uma velhice anestesiada e feliz. E como é fácil entender o mercado! A intuição principal, para alguém que quer fazer fortuna a vender livros, é que muito pouca gente, neste mundo, compra livros. Em compensação, todos compramos presentes.

Um livro deve ter um bom texto, um presente uma boa capa. Um livro deve ser discreto, understated; um presente, garrido e aparatoso. Um livro deve caber no bolso, um presente por cima da mesa da sala de jantar em Birre, ou no quarto de um adolescente ao lado da Playstation. Conclusão óbvia: um editor é antes de mais um sociólogo, e um sociólogo, como já todos verificámos, nem sequer tem que saber ler.

Este Natal, a velha Inglaterra encheu-se de livros para rapazes. Pelas capas dir-se-ia que foram escritos pela Enid Blyton, mas quem observar o interior sabe que foram criados pelo departamento de marketing da Random House, ou da Penguin, ou coisa que o valha. A operação deve ter valido a pena, porque existem vários no top de vendas da Amazon.uk. À primeira vista, há inúmeros destinatários para estas publicações: 1º Os pais/mães/madrinhas/tias/avós dos rapazes mencionados na capa. 2º As amigas, namoradas ou namorados dos mesmos rapazes. 3º Os próprios dos rapazes 4º Os senhores que já não são rapazes mas ainda gostam muito deles.

E em Portugal? Que fazem os nossos editores quando o público suspira por livros para rapazes? Imagino que aguardem pacientemente pela feira de Frankfurt. Para o próximo ano, por esta altura, ou me engano muito ou vamos ser surpreendidos .

2 Comments:

Blogger susana said...

O livro de baixo já foi publicado em Portugal com o título de "Livro Perigoso para Rapazes". Vivamente aconselhado a quem julga não ter mais de 10 anos. (Exclui-se, é claro, quem efectivamente tem 10 anos ou menos de idade).

1:22 da manhã  
Blogger Luis M. Jorge said...

Adiantaram-se. Boa notícia.

12:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home